sexta-feira, Março 23, 2012

Contraditórios (II)

Gostei muito e registei aqui. Escolhi-o, depois, para integrar a elite do Pingus Vinicus.


Agora não! Não parecia, não era, o mesmo. Estranho e sem interesse. Complicado e muito atabalhoado. Após inúmeros elogios, quase desmedidos, fica na boca um grande amargo.

5 comentários:

  1. Aconteceu-me o mesmo esta semana. Tinha gostado muito do vinho quando provei, guardei algumas garrafas e revisitei-o para ver como andava. Fiquei confuso! Uma madeira estranha, um sabor algo enjoativo salvo apenas pela mineralidade e notas salgadas.

    Talvez melhore...

    Cumprimentos
    António Jorge Neves

    ResponderEliminar
  2. Olá António. Fiz a mesma coisa...e tive a mesma sensação.

    abraço

    ResponderEliminar
  3. Resta-me uma garrafa, depois destes "desabafos" estou receoso... mas, vou esperar mais um tempo para a sua evolução.

    Pedro Quental

    ResponderEliminar
  4. Caro Pingus,

    li e fui a correr experimentar, desejando que a sua e a do António tivessem sido duas más garrafas ... mas não, o vinho está completamente perdido, com um toque de remédio, sem graça nenhuma ... vou guardar o que tenho esperando que, por alguma arte mágica, o vinho ressuscite.
    Cumprimentos,
    Bruno Miguel Jorge

    ResponderEliminar
  5. Olá Bruno, esperamos que não seja erro de análise.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar