segunda-feira, março 05, 2018

Quando vou ao Supermercado

Este é um daqueles vinhos que compro, com muita regularidade, quando vou ao supermercado. Sabe sempre bem, fica sempre bem numa mesa, à refeição. E que, não esquecer, consegue ser transversal. A malta gosta e ninguém se chateia. 


Sem ser banal, muito longe disso, consegue-se com este vinho uma boa dose prazer, sem matar a cabeça em demasia. Tem frescura, tem nervo, tem volume. Tanto serve para os que se armam em connoisseur, como para aqueles que não querem cá saber dos temas que se discutem nos bastidores do vinho. 


Pode-se tornar, no entanto, muito perigoso. Um tipo, se tiver com a companhia certa, é capaz de abrir umas quantas, enquanto houver comida e conversa para desenvolver. Os problemas vêm depois, isto é: as dores de cabeça. 

2 comentários:

Flavio Henrique disse...

Caro Pingus,

Que coincidência! Nesse final de semana bebi o exemplar de 2015 deste vinho. Gostei!

Abraços,

Flavio

Pingus Vinicus disse...

Olá Henrique, gosto muito do 2015. Para o preço, a rondar os 5€, está altamente.

Um grande abraço